Opinião – As desculpas da Santa Casa para justificar os homicídios que comete

Por Guilherme Kalel

Informe Post – 12/009/2020 | 23h09

Verdade seja dita, doa a quem doer.
Um dos lemas que movem o Informe Post, e que nunca nos impediu de falar noticiar e denunciar, o que precisava ser mostrado.
Hoje podemos afirmar com total convicção, duas importantes coisas.

A primeira delas, Franca está abandonada e sua população, jogada a própria sorte.
O Prefeito é figurativo, vereadores são figurativos, políticos interessados apenas nos benefícios próprios e não em representar quem os elegeu para chegarem onde chegaram.
Deve ser por isso que, os vereadores de Franca não respondem os contatos que lhes são feitos,
ou não tem como exigir mais do que respostas fajutas, de quem deveria cuidar da saúde da população.

A Santa Casa de Franca, o único hospital de alta complexidade que atende a pacientes pelo SUS em Franca,
está também sem rumo, sem controle, e com uma série de crimes impunes.
Que continuarão assim, se nada for feito, se os fatos não forem denunciados.
Por isso estamos aqui.
O Jornalismo sério e coeso, tem a finalidade de informar as pessoas dos acontecimentos, e cobrar as autoridades.
Jogar a luz a verdade dos fatos, doa a quem doer.

Verdade que se diga.
Há 48 horas uma paciente de 87 anos de idade, está na Santa Casa, esperando um leito para UTI.
Uma idosa, cidadã, pagadora de seus impostos em dia, que lutou uma vida toda.
Uma mulher de família, que foi esposa, mãe, avó, bisavó de pessoas que a amam.
E que junto a ela, sofrem duplamente.
Por ver seu sofrimento e por não poderem fazer nada.

Esse é o preço que quem não tem dinheiro paga no Brasil.
Descaso, abandono, os pacientes são deixados para morrer.
Com a falsa imagem de que tudo está bem, de que os pacientes estão monitorados.
A realidade é bem diferente.

Neste caso que o Informe Post acompanha, desde a noite de quinta-feira, 10, uma família luta para conseguir a vaga para uma idosa, de 87 anos de idade.
A Santa Casa alega que não existe leitos de UTI disponíveis.
Mas para o hospital, não tem problema.
A paciente está recebendo medicação e acompanhamento médico.
Mas será que isso é tudo o que ela precisa?
Por que se fosse, qual seria o motivo então dela necessitar de uma vaga de UTI?
Poderia ficar em qualquer leito.
Mas não pode,
exatamente porque o suporte de uma UTI, só existe em uma UTI.
A conversa de que na emergência ela recebe todo o suporte necessário, por isso não está desassistida, é conversa para enganar os mais leigos.
Aqueles que não entendem de medicina, aqueles que não entendem como é uma UTI por dentro.
Felizmente, o Informe Post não faz parte desse grupo.

A Santa Casa de Franca pode, falar para políticos, para pessoas, que a paciente está sendo atendida.
Pode se refutar a responder os questionamentos do Informe,
mas não pode se esconder da verdade.
Nesta semana mesmo, pacientes morreram no hospital, a espera de vagas que nunca vieram.
Ontem mesmo, a vaga que seria destinada a paciente citada neste artigo, foi dada a outra pessoa.
Por que ela é idosa, e tem menos chance de sobreviver do que o paciente que tomou seu lugar.
Todos merecem sim, atendimento.
Mas não se pode escolher, quem vive ou quem morre.
A equipe de administração da Santa Casa de Franca, não pode continuar brincando de querer ser Deus.

Na verdade, o que fazem tem outro nome,
Homicídio.
Que deve ser denunciado, processado, levando os responsáveis pela regulação das vagas e até mesmo o responsável pelo hospital, a responder por esses atos.
As pessoas não podem mais ficar abandonadas a própria sorte.
Isso tem que parar.

E o Informe Post, está dedicado a fazer com que as pessoas escutem o que está acontecendo.
Está dedicado, a revelar a verdade dos fatos.
Só hoje, nossa equipe conseguiu captar, diversas historias de famílias que esperam vaga,
ou de pessoas que morreram a espera dela.
Todas, vítimas dos homicidas que atuam como funcionários da administração de vagas da Santa Casa de Franca.
Sim são homicidas, o hospital comete homicídio em massa.
Porque quando não se cuida com o que é preciso de um paciente, então cometem este crime, passível de pena de prisão.
Se Franca fosse uma cidade séria, com administradores sérios,
provavelmente esse artigo nunca teria sido escrito.
Mas infelizmente a cidade não é,
a população está abandonada, e o atual Prefeito, vive num mundo completamente desconexo a realidade.
O mesmo acontece, com a equipe administrativa da Santa Casa, com o Secretário da Saúde,
com todos que acreditam na balela, de que a paciente, qualquer que seja, estaria bem assistida numa emergência.
Se fosse verdade não precisaria existir UTI, todos os pacientes poderiam ficar, amontoados num lugar só.
Realidade é diferente, bem diferente.